Pesquisar

Perda de massa muscular na terceira idade: tem jeito?

on 26 Fevereiro 2015

Hoje falaremos sobre uma das queixas mais comuns entre idosos, tanto homens quanto mulheres: a diminuição da massa muscular. Quem geralmente tem essa queixa são as pessoas mais magras,

já que nelas a perda fica mais evidente - principalmente nos braços e pernas. No entanto, nos “gordinhos” a musculatura também costuma “diminuir”. A essa perda de massa muscular, damos o nome de sarcopenia; e à redução da força, dinapenia. Excluídas doenças que estejam causando essa redução na musculatura, como desnutrição, deficiências hormonais (testosterona nos homens, principalmente), síndrome da fragilidade (*) ou outras doenças mais graves, partimos para a necessidade de tentar recuperar a musculatura e o condicionamento físico. E como fazemos isso? Atividade física, alimentação e suplementos.

Ao contrário do que muitos pensam, o idoso consegue, sim, aumentar sua massa muscular! Isso não é uma capacidade apenas dos jovens! Com o exercício físico e a alimentação saudável consegue-se melhorar bastante a performance do idoso no seu dia-a-dia, melhorando a capacidade de caminhar e reduzindo as quedas, ou seja, preservando sua independência e qualidade de vida. Além disso, o ganho de massa muscular e o condicionamento físico repercutem com melhores níveis hormonais (hormônio do crescimento e testosterona), como se fosse uma espécie de recompensa pelo esforço realizado. Isso sem falar do bem-estar mental, social e da melhora na aparência física e postura.

Mas, então, qual é a fórmula mágica, Dr. Leandro? Infelizmente não é bem assim que funciona! Cada caso exige uma avaliação médica bem completa, para que, como disse antes, se tente investigar a presença de alguma alteração que esteja contribuindo para agravar a perda muscular. As participações do nutricionista, fisioterapeuta, cardiologista e educador físico são fundamentais. Na literatura médica, cada vez mais se destacam a utilização do ômega-3, a suplementação de vitamina D e o uso do whey protein – que é a proteína do soro do leite em pó. Esse último, é muito utilizado por praticantes de musculação e tem se mostrado muito bom para a saúde dos idosos como um todo, por conter aminoácidos essenciais absorvíveis de maneira fácil pelo organismo. A única restrição ao uso do whey protein são as pessoas com problemas renais, que necessitam de avaliação médica para poder fazer o uso com segurança.

Se você quer viver bastante, caminhe. Mas se você quer ter um envelhecimento nota 10, caminhe e também faça algum tipo de exercício resistido (como a musculação ou o pilates).

Cuide bem dos seus músculos... e surpreenda-se!

(*) A síndrome da fragilidade é uma condição clínica em que o idoso fica extremamente vulnerável, apresentando um risco aumentado para infecções e quedas. Existem diversas definições para a síndrome, mas, basicamente, é caracterizada por perda de peso, inapetência, fraqueza muscular, cansaço e dificuldade de marcha.

Dr. Leandro Minozzo - CRM 32053
Mestre em Educação - Clínico Geral - Especialização em Geriatria pela PUCRS
Pós-graduado em Nutrologia pela ABRAN