Pesquisar

Coagulação Normal  X  Tromboflebite

on 20 Fevereiro 2015

Quando há um machucado daqueles que ficam roxos, é sinal de que algum pequeno vaso se rompeu com a batida. Se tivéssemos um microscópio para olhar, veríamos que no local da lesão

o sangue se transforma em um microcoágulo e estanca o sangramento como um  mecanismo de defesa natural contra hemorragias.

O coágulo ou trombo é o sangue que ficou sólido, assim como o leite que vira queijo. Isso acontece sempre que há uma lesão em um vaso, provocando um início de sangramento, seja pequena ou grande. Há mecanismos que ativam a coagulação quando necessário, enquanto outros “mandam parar” quando já está suficientemente estancado o sangramento. Um pequeno acidente doméstico, uma injeção, cirurgia ou uma varize que se rompe são motivos para desencadear a coagulação.

Chamamos de tromboflebite quando há uma formação desses coágulos dentro de veias aparentemente íntegras gerando obstrução da circulação local e a percepção de uma veia (ou varize) dura, quente, vermelha e dolorosa.

As mais comuns, que são secundárias a traumatismos, geralmente respondem bem a antiinflamatórios e calor local, mas nunca é dispensável uma avaliação por um médico, porque alguns tipos de tromboflebites podem ser um sinal de alguma outra doença subjacente.

Dica sobre traumatismo doméstico:

Se você acertou na quina (da mesa) com tanta força que sabe que vai ficar roxo, mas não gostaria de jeito nenhum que isso acontecesse, há uma saída: Comprima com força o local da batida imediatamente após o traumatismo, mesmo que você esteja com dor, aperte firme sem mexer o local, se possível associado à elevação.

Mantenha essa compressão por aproximadamente quinze minutos e depois retire a compressão lentamente seguindo de colocação de compressa fria no local. É importante cuidar para não movimentar a pele no local. Isso facilitará a imediata coagulação dos vasinhos acometidos e diminuirá a possibilidade de ficar roxo.

Luiz Fernando Albernaz
Cirurgião vascular e angiologista - Cremers16513
Especialista pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular
Membro da Sociedade Brasileira de Flebologia
Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.
Membro do American College of Phlebology