Pesquisar

A administração adequada de medicamentos

on 31 Março 2015

Os pesquisadores do Instituto Francês de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) demonstraram que levar em consideração o famoso "relógio biológico", permite aumentar a eficácia

dos tratamentos com medicamentos e diminuir sua toxicidade.

Este campo de estudo de ponta, chamado cronoterapia, defende a sincronização do regime medicamentoso com seu ritmo circadiano para maximizar a eficácia e minimizar os efeitos colaterais. 

Como os ritmos circadianos (circa - ao redor do; dies - dia) também controlam o ritmo da divisão celular, os pesquisadores têm se esforçado para desenvolver a cronoterapia, com o desejo de determinar qual é o melhor momento para administrar certos remédios, para que eles sejam mais eficazes e menos perigosos.

Alguns exemplos de aplicação da cronoterapia:

Antidepressivos – em geral é recomendado tomá-los ao acordar, pois sono prejudicado é um dos efeitos colaterais dos inibidores seletivos de receptação de seratonina.

Remédio à base de bifosfanato (para osteoporose) – os médicos aconselham a tomá-los com água em jejum, logo ao acordar sem beber, comer ou tomar outro medicamento durante mais uma hora, pois é difícil para o corpo absorver este medicamento.

Bloqueadores de histamina – reduz a produção de ácido: Devem ser tomados 30 minutos antes do jantar, pois o estômago produz , entre as 22h e 2h, mais ácido do que qualquer outro período.

Anti-alérgicos – melhor administrá-los à noite, durante o jantar, pois seu pico de atuação ocorre entre 8h a 12h depois de ingerido e o sintoma da renite alérgica apresenta piora à noite e ao amanhecer atinge seu estado mais crítico. Se o anti-histamínico for administrado duas vezes ao dia, prefira de manhã e a noite.

As estatinas (para colesterol) – devem ser tomadas antes de dormir, pois a produção de colesterol no fígado atinge seu ápice à meia-noite, sendo menor pela manhã e à tarde.

Remédio para pressão – a pressão arterial normalmente é mais alta durante o dia e mais baixa à noite, mas como alguns hipertensos não apresentam esta redução noturna, o que é fator de risco para AVC, infarto e doença renal, alguns médicos aconselham tomar certos anti-hipertensivos, como inibidores de ECA e bloqueadores de receptores de angiotensina, antes de dormir. 

Remédios para osteoartrite – segundo os pesquisadores franceses, é melhor tomar anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, cerca de seis horas antes de a dor chegar ao auge, para terem efeito no momento certo.

Obs.: Nunca altere os horários de consumo dos medicamentos, sem conversar com seu médico.

Fonte: Revista Seleções – Dez/2013