Pesquisar

Cefaleia tensional

on 10 Junho 2015

A cefaleia tensional é geralmente uma dor difusa, de leve a moderada intensidade na sua cabeça, muitas vezes descrita como a sensação de uma faixa apertando o crânio.

A cefaleia tensional é o tipo mais comum de dor de cabeça, e suas causas não são bem compreendidas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de 38% a 74% dos brasileiros sofrem com cefaleia tensional. 

A cefaleia tensional pode ser episódica (menos de 15 dias por mês) ou crônica (mais de 15 dias por mês). As dores de cabeça podem durar entre 30 minutos e vários dias. Não existe uma única causa e, em algumas pessoas, dores de cabeça de tensão são causados pela contração involuntária e crônica de músculos na parte de trás do pescoço e do couro cabeludo. Essa tensão muscular pode ser causada por repouso insuficiente, postura inadequada, estresse emocional ou mental, incluindo depressão e ansiedade, entre outras.

Dores de cabeça tensionais são geralmente desencadeadas por algum tipo de estresse de origem externa ou interna. Exemplos de fatores de estresse incluem: 

•Ter problemas em casa / vida familiar difícil

•Estar esperando um filho ou filha

•Preparar-se para testes ou exames

•Voltar de férias

•Iniciar um novo trabalho

•Perder um emprego

•Estar insatisfeito com o próprio corpo

•Prazos no trabalho

•Competição em esportes ou outras atividades

•Ser perfeccionista

•Não dormir o suficiente

•Se envolver em muitas atividades / organizações.

A cefaleia tensional episódica geralmente acontece por uma situação estressante isolada ou um acúmulo de estresse. Estar exposto ao estresse diariamente pode levar à cefaleia tensional crônica. 

Outros desencadeadores da cefaleia tensional são: 

•Álcool

•Cafeína (em excesso ou abstinência)

•Gripe e resfriado

•Problemas odontológicos como bruxismo

•Fadiga visual

•Fumo em excesso

•Fadiga

•Congestão nasal

•Esforço excessivo

•Sinusite

A cefaleia tensional ocorre mais frequentemente em mulheres e acomete todas as idades. Os sintomas são

•Leve dor ou pressão na frente, topo ou laterais da cabeça

•Dor de cabeça que ocorre no final do dia

•Dificuldade em adormecer e manter o sono

•Fadiga crônica

•Irritabilidade

•Dificuldade de concentração

•Sensibilidade à luz ou ruído

•Dores musculares.

A cefaleia tensional pode ser episódica (menos de 15 dias por mês) ou crônica (mais de 15 dias por mês). A cefaleia tensional crônica pode variar em intensidade ao longo do dia, mas a dor quase sempre está presente. Além disso, uma cefaleia tensional aguda pode evoluir para a forma crônica. 

Cefaleia tensional x Enxaqueca

As dores de cabeça tensionais podem ser confundidas com enxaquecas. Além disso, se você tem cefaleia tensional frequentemente, as chances de sofrer com enxaqueca são maiores. 

Ao contrário de algumas formas de enxaqueca, a cefaleia tensional normalmente não está associada a distúrbios visuais, náuseas ou vômitos. Embora a atividade física geralmente agrave a enxaqueca, não faz a cefaleia tensional piorar. 

DIAGNÓSTICO E EXAMES

Se a dor de cabeça atrapalha sua vida ou você precisa tomar medicação para suas dores de cabeça mais do que duas vezes por semana, busque ajuda médica. 

Para pessoas que já receberam o diagnóstico de cefaleia tensional, é importar marcar uma consulta sempre que houver uma mudança no padrão das dores. Ocasionalmente, as dores de cabeça podem indicar uma condição médica séria, tal como um tumor cerebral ou ruptura de um vaso sanguíneo (aneurisma). 

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações: 

•Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram

•Histórico médico, incluindo outras condições ou medicamentos ou suplementos que tome com regularidade

•Leve suas dúvidas por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá responder as perguntas relevantes antes da consulta acabar.

O médico fará uma série de perguntas, tais como as que seguem e, esteja preparada para responde-las o mais corretamente possível.

•Quando você começou a sentir os sintomas?

•Você já notou qualquer gatilho comum, como o estresse ou fome?

•Seus sintomas são contínuos ou ocasionais?

•Quão graves são seus sintomas?

•Quantas vezes você tem dores de cabeça?

•Quanto tempo dura cada dor de cabeça?

•O que, se alguma coisa, parece melhorar seus sintomas?

•O que, se alguma coisa, parece piorar seus sintomas?

•Tem alguma coisa que avisa que a dor iniciará, por exemplo, alteração visual?

•Existem sintomas associados?

•A luz, barulho, cheiro incomodam?

Mantenha um diário de dor. Coletar informações sobre suas dores de cabeça pode ajudar no diagnóstico. 

PARA CADA DOR DE CABEÇA, ANOTE: 

•Data e hora de cada dor de cabeça, para ajudar a reconhecer padrões

•Duração da dor

•Intensidade da dor em uma escala de 1 a 10, sendo 10 o pior

•Liste possíveis desencadeadores da sua dor de cabeça, como certos alimentos, atividades físicas, ruído, estresse, fumaça, luzes brilhantes ou mudanças nas condições meteorológicas

•Quais sintomas que costumam aparecer antes ou depois da dor de cabeça

•Os medicamentos que você tomou antes ou depois da dor.

•Características da dor: ela é pulsante? Ou é constante e maçante? Afiada ou profunda?

•Intensidade da dor: um bom indicador da gravidade da sua dor de cabeça é o quanto você é capaz de funcionar durante o episódio. Você consegue trabalhar? As dores de cabeça podem acordá-lo ou impedi-lo de dormir?

•Localização da dor: ela acontece em apenas um lado de sua cabeça, ou apenas em sua testa ou atrás de seus olhos?

Se as dores de cabeça se apresentarem incomuns ou complicadas, pode ser necessário pedir exames para excluir causas graves de dor de cabeça, como um tumor ou problemas vasculares. Dois exames são comumente utilizados: 

•Tomografia computadorizada

•Ressonância magnética.

Após receber o diagnóstico de cefaleia tensional e excluídos problemas mais sérios como tumores ou doenças vasculares, inicia-se um tratamento prolongado.

TRATAMENTO DA CEFALEIA TENSIONAL

Algumas pessoas com cefaleia tensional não procuram atendimento médico e tentam tratar a dor por conta própria. Infelizmente, o uso repetido de medicamentos analgésicos pode realmente causar dores de cabeça ainda piores. O tratamento precisa ser preventivo.

Dessa forma, é importante procurar ajuda médica e seguir as orientações. Entre os medicamentos que podem ser receitados estão: 

•Analgésicos comuns

•Medicamentos combinados

•Antidepressivos

•Opioides (medicamentos do grupo da morfina)

MEDICAÇÕES PREVENTIVAS

Medicamentos utilizados para reduzir a frequência e a gravidade dos ataques, especialmente para quem tem cefaleia tensional frequente ou crônica que não é aliviada por medicamentos para dor ou outras terapias. Entre os medicamentos estão os antidepressivos, anticonvulsivantes e os relaxantes musculares.

Medicações preventivas podem exigir várias semanas ou mais para fazer efeito. Então, não fique frustrado se você ainda não viu melhorias pouco depois de começar a tomar o medicamento. 

TRATAMENTOS ALTERNATIVOS

Além da medicação, outros tratamentos podem ajudar na cefaleia tensional. Veja: 

•Acupuntura

•Massagem

•Biofeedback e terapias comportamentais.

PREVENÇÃO

Algumas medidas podem ser adotadas para evitar novas crises de cefaleia tensional ou ajudar no tratamento das dores e entre elas importa evitar a automedicação, mudar os hábitos que causam dor, como dieta ou estresse, não ficar esperando a dor passar e, sim seguir o tratamento indicado na consulta médica, utilizar compressas quentes ou frias, o que aliviar a sua dor, manter uma postura correta pois isso pode ajudar a evitar tensões que causam a cefaleia.

Hábitos saudáveis também ajudam no manejo preventivo por isso

•Pratique atividades físicas

•Mantenha uma dieta equilibrada

•Tenha bons hábitos de sono

•Não fume

•Beba muita água

•Limite o consumo de álcool, cafeína e açúcar 

•Siga as orientações médicas.

Dr. André Ricardo Stüker - CRM-RS 24.687
Médico Anestesiologista - Especialista em Tratamento da dor